Agradeço a vossa visita, por fazer parte da minha história ... por bailar comigo!




quarta-feira, 30 de novembro de 2005


O amor é assim,
uma coisa louca sem fim;
um entardecer cheio de madrugada
para se perpetuar em beijos
que buscam duas bocas ansiosas.

Tudo para não deixar
morrer o encanto que nasceu
do primeiro sacudir de coração;
tudo para não deixar morrer
a única esperança de perfeição
traçada na memória
de uma lembrança concebida
por consentimento mútuo.

O dia nasce e termina
na espera de palavras
que confirmem o que já se sabe: há amor.
E haverá amor depois
que a última porta se fechar
e os olhos derramarem
uma lágrima solitária de saudade.

Continuará havendo amor
depois que a última
centelha de tempo se extinguir,
porque se existe algo atemporal...

O seu nome é amor.

2 comentários:

Priscila disse...

Acreditar na existência de um AMOR assim é grande demais...as vezes questiono-me se existe mesmo esse sentimento que tantos falam...que tantos já tentaram descrever...Não dúvido que exista mas também não acredito em pleno....Beijos

Anônimo disse...

eu acho que para ser amor tem já a característica de ser para toda a vida, acho que não existe amor sem ser para sempre são duas palavras, dois estados que estão sempre ligados. Eu acho que não é não só não ver mas também não saber...mesmo que não vejas mas se tiveres uma desconfiança, se souberes...sentes sempre eu já vivi situações assim e mesmo não vendo senti...Beijinhos